Contaminação do gado em assentamentos do MST


17/10/2005

Contaminação do gado em assentamentos do MST

Assentados do Movimento dos Trabalhadores Rurais SemTerra (MST) no município de Japorã, a 35 quilômetros da área em que foi localizado, em 10 de outubro, um foco de febre aftosa, são o centro das investigações sobre a origem da contaminação. No local, foram encontradas vacas leiteiras afetadas pelo vírus, mas medidas dependerão das análises do sangue colhido dos bovinos sob suspeita.

Para os técnicos da Agência Estadual de Defesa Sanitária, Vegetal e Animal, as suspeitas recaem sobre o assentamento do MST não só em Japorã, vizinho de Eldorado, no sul de Mato Grosso do Sul. Está sendo feita uma rigorosa inspeção em todos os assentamentos do Programa Nacional de Reforma Agrária nos cinco municípios interditados pela vigilância sanitária - Eldorado, Iguatemi, Itaquiraí, Japorã e Mundo Novo. O Estado de S. Paulo (14-10-05).

A contaminação do gado teria passado dos assentamentos para fazendas da região, o que está causando enorme prejuízo para o Brasil, pois numerosos países estão cancelando a importação de carne do Brasil.

Foi com muito esforço que o Brasil conseguiu tornar-se o maior exportador mundial de carne, em volume, mas pode perder essa posição devido à epidemia de aftosa. O que representaria uma perda de bilhões de dólares.

Vale a pena correr permanentemente esse risco, só para não renunciar à ideologia socialista da Reforma Agrária que mantém esses assentamentos, ademais dando prejuízo? 

Topo da Página

 

 

 

 

 

 
Leia Também
O caso da freira assassinada no Pará
Desprestígio do MST
Número de gordos ultrapassa de longe o de magros
O Brasil e seu agronegócio ameaçados pelo leviatã ecológico
Socialismo fracassa entre índios e assentados
Radiografia da marcha dos sem-terra