“Revolução Quilombola: novo foco de tensão no Brasil?”


24/04/2008

Nelson Barretto

* Depois do "cotismo", que estabeleceu vagas universitárias obrigatórias para negros, surge um novo foco de tensão e confusão no Brasil, no campo e nas cidades, desde o Pará até o Rio Grande do Sul, e até no bojo de grandes cidades, como o Rio de Janeiro!

* Trata-se do "quilombolismo", que reivindica terrenos que teriam pertencido a ancestrais negros, os tira dos atuais proprietários e os transforma em áreas coletivas de quilombolas, controladas pelo INCRA.

* É o que mostra o livro-reportagem "A Revolução Quilombola", do jornalista Nelson Ramos Barretto, divulgado pela ONG "Paz no Campo", mostra o mapa quilombola, Estado por Estado, e alerta para esse novo foco de tensão no Brasil.

* A confusão começou com o Decreto nº 4887/03, do atual governo federal. Imediatamente, sob o amparo desse decreto, a Fundação Palmares, assessorada pela Secretaria da Igualdade Racial, anunciou a existência de 3.100 comunidades quilombolas em todo o Brasil!

* Se essas comunidades forem certificadas, de acordo com o Decreto nº 4887, a área desapropriada para territórios quilombolas poderá totalizar 21 milhões de hectares. Quase a área do Estado de São Paulo! Como se não bastasse com o MST, aí vem os quilombolas!

* Uma reportagem objetiva, desapaixonada, com documentação inédita, para vc analisar e formar sua própria opinião!

* Nelson Barretto é autor dos best-sellers "Reforma Agrária: o mito e a realidade" (2003) e "Trabalho escravo: nova arma contra a propriedade privada" (2004).

* Os interessados em adquirir o livro devem acessar: http://livro-quilombola.blogspot.com

Topo da Página

 

 

 

 

 

 
Leia Também
Nobreza e elites tradicionais análogas
TRIBALISMO INDÍGENA
30 anos depois
Trabalho escravo, nova arma contra a propriedade privada
REVOLUÇÃO E CONTRA- REVOLUÇÃO
Kamikaze
Acordo com o regime comunista